WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindicalistas e deputado discutem a profissão médica

0

O deputado federal Sandro Mabel (PR-GO) participou da reunião do Conselho Deliberativo da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), realizada nos dias 3 e 4 de julho, em Goiânia. O encontro reuniu os delegados de todos os sindicatos médicos do país. O médico João Gouveia representou o Sindicato dos Médicos do Pará.

Os delegados regionais debateram temas como a implantação do Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos (PCCV), aposentadoria especial do médico, a organização e o funcionamento das cooperativas de trabalho médico no Brasil e a estratégia do Movimento de Valorização do Trabalho Médico no Sistema Único de Saúde (SUS). Também foram discutidas a Urgência e Emergência do SUS, a implementação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos na medicina suplementar e a implantação de escritório de representação da Fenam em Brasília.

Segundo João Gouveia, o encontro permitiu aos dirigentes sindicais a troca de informações sobre o setor de saúde e a criação da base das bandeiras de luta da federação. |Essas reuniões aproximam os sindicatos e fortalecem as lutas históricas da categoria em busca de melhores condições de trabalho, a qualidade no ensino médico, a lei do ato médico, entre outras|, afirmou.

Gouveia também destacou a criação do escritório da Fenam em Brasília. |É uma realização importante porque aproxima a entidade das discussões da sede do governo federal, do senado e da câmara dos deputados|.

Um dos destaques do evento da Fenam foi a avaliação da proposta de reforma tributária, apresentada pelo deputado Sandro Mabel, relator do projeto. Uma das preocupações dos sindicalistas é a possibilidade de limitação de investimentos nas áreas sociais, que significa limitar investimentos na saúde, o que pode prejudicar o financiamento do setor que está precisando de mais recursos.

 

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará