WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindmepa Informa – 11.08.2013

0

IPAMB SAÚDE

Cerca de 50 médicos da Prefeitura de Belém já conseguiram a não obrigatoriedade do desconto da contribuição ao Ipamb-Saúde em seus contracheques. A ação movida pelo Sindmepa foi favorável aos médicos, porém, por enquanto só vale para os que assinaram a ação coletiva e entregaram cópias dos seus documentos ao Sindicato. Os médicos que desejam cessar esse desconto em seus contracheques precisam ser sindicalizados e devem comparecer ao Sindmepa com cópias dos cinco últimos contracheques, comprovante de residência e carteira do CRM.

AMEREPA

Médicos residentes vão sacramentar amanhã, em Assembleia Geral, a criação da Associação dos Médicos Residentes do Pará (Amerepa). Os membros vão aprovar o estatuto e eleger diretamente a diretoria. A criação da associação fortalece ainda mais a categoria frente aos ataques e à desvalorização da profissão.

AGE DAS LUTAS

E na próxima terça-feira, 13, às 19h, temos Assembleia Geral da categoria onde estaremos fazendo uma avaliação das ações de lutas no Estado e traçando os encaminhamentos sobre as estratégias contra o programa Mais Médicos e o veto à Lei do Ato Médico. Na AGE também traremos os informes das agendas de lutas nacionais, que aconteceram em Brasília, nesta semana.

MAIS MÉDICOS?

Os resultados pífios do Programa Mais Médicos mostram mais uma vez a fragilidade da iniciativa do governo para atrair médicos para as periferias e municípios do interior do País. Definitivamente ficou comprovado que essa não é a melhor solução para o problema e que a categoria não é a responsável pelo caos na saúde no Brasil. Que tipo de profissional iria se submeter a um trabalho sem segurança, sem equipamento ou quaisquer direitos trabalhistas? O governo já sabe qual o remédio pro problema, só não quer aplicar. Mais investimentos e carreira de estado que garanta a ascensão na carreira e condições de exercer a medicina de forma ética e correta.

DECISÃO ACERTADA

Um juiz do Rio Grande do Norte decidiu bloquear os recursos do Estado destinados à propaganda institucional, alegando que havia várias ações ajuizadas contra o Estado na comarca de Currais Novos, onde atua, e que não estava sendo garantido o acesso à saúde, direito previsto pela Constituição Brasileira. O juiz tomou como parâmetro para a decisão dados do TCE de 2011, que apontam investimentos pelo Estado de R$ 16 milhões em propaganda institucional e R$ 11 milhões na área da saúde. Bem que essa moda podia se espalhar e pegar também aqui no nosso Pará, hein!

PORTEIRA ABERTA

O governo insiste na tese de que não vai privatizar a Santa Casa (que já está sendo chamada de Hospital Estadual Materno Infantil Almir Gabriel, portanto um novo hospital). Porque então simular uma reunião com funcionários da Santa Casa para tentar justificar a privatização (que eles chamam de terceirização para O.S.)? O que vem se desenhando, na prática, é que aos funcionários que roeram os ossos na antiga Santa Casa restarão somente péssimas condições de trabalho, remuneração ridícula e assistir o funcionamento do novo hospital com melhores condições de trabalho, melhor remuneração e a escolha política do seu pessoal, pois os antigos servidores estão excluídos do processo, por serem funcionários públicos. O governo realmente não vai privatizar a Santa Casa. Vai privatizar o Hospital Materno Infantil Almir Gabriel.

 

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará