WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindicalistas da Amazônia querem entidade nacional mais forte

0

Quatro sindicatos médicos da Amazônia – Acre, Pará, Amapá e Roraima – participaram na sexta-feira e no sábado último da assembleia geral extraordinária da Federação Médica da Amazônia (Femam), autorizando a Federação a integrar a nova entidade médica nacional que vai representar sindicatos da categoria no Brasil: a Federação Médica Brasileira, que já conta com mais de 20 sindicatos em sua composição.

O presidente da Femam, Wilson Machado, que é direitor do Sindmepa, disse que os sindicatos da Amazônia estão sentindo a necessidade  de uma entidade representativa forte, que seja capaz de levar suas necessidades e anseios aos órgãos e instituciões nacionais ligados à saúde. “Precisamos ter voz em Brasília para melhorar as condições de trabalho e de remuneração dos profissionais médicos para, consequentemente, obter a melhoria na qualidade da prestação dos serviços na área da saúde no Brasil”, disse Wilson Machado.

femam02

Dirigentes sindicais visitam instalações de hospitais públicos de Rio Branco.

 

A nova federação surge após o rompimento de diversos sindicatos brasileiros com a atual direção da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e já conta com o apoio de mais de 20 sindicatos de todo o Brasil. A criação da entidade já está marcada para o dia 24 de abril, em Recife.

Os sindicalistas que participaram da assembleia da Femam aproveitaram a oportunidade para conhecer os serviços médicos de Rio Branco. De Pará, além de Wilson Machado, participou o diretor Waldir Cardoso. Foram feitas visitas ao Hospital do Pronto Socorro municipal e à maternidade Barbara Heliodora. De acordo com Wilson Machado, a visita mostrou que, apesar dos problemas enfrentados, os estabelecimentos de saúde do município estão melhor estruturados que a média dos hospitais públicos brasileiros.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará