WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Médicos contribuem para identificação de crianças desaparecidas    

0

​​No dia 25 de maio, data em que é celebrado o Dia Internacional da Criança Desaparecida, os Conselhos Federal e Regionais de Medicina realizarão mobilizações nos estados para chamar atenção dos médicos e da sociedade para este problema. A pedido do CFM, o tema será abordado também em audiência pública no Senado Federal no dia 26. Além do presidente da autarquia, Carlos Vital, foram convidadas para o debate as presidentes da ONG Mães da Sé, Ivanise Esperidião; e do Movimento Humanos de Direitos (Mhud), a atriz Camila Pitanga.

Dezenove Estados e o Distrito Federal já informaram a programação local. O CRM-PA promoverá às 19:30, na sede do órgão, Plenária Temática com a participação de várias entidades, segmentos da sociedade e Sociedades Especializadas, com a finalidade de debater ações para sensibilizar os médicos sobre tão grave situação. Todos os médicos foram convocados a participar. O Sindmepa vai participar ativamente da agenda.

Hoje, grupos de conselheiros visitarão hospitais, a fim de estimular colegas e outros profissionais da saúde a colaborarem na identificação dessas crianças, além de orientar pacientes a evitar o problema.

Por ano, estima-se que 50 mil crianças somem no país e cerca de 250 mil ainda não foram solucionados. No mundo esse número chega a 25 milhões. “Os Conselhos enaltecem o grave situação que afeta a sociedade brasileira, notadamente a parcela mais carente. Queremos pedir aos médicos para que fiquem atentos, principalmente os da área de Pediatria, pois é cada vez maior o número de casos”, alertou o presidente do CFM, Carlos Vital Tavares Corrêa Lima.

​​O assunto também será tema de audiência pública no Senado Federal nesta terça-feira, dia 26, às 9h, no Plenário nº 2, Ala Senador Nilo Coelho, Anexo II. A audiência foi solicitada pela senadora Ana Amélia (PP-RS), por sugestão do CFM.

O integrante da Comissão de Ações Sociais, Ricardo Paiva, ressalta a importância da participação de médicos e sociedade no debate. “Precisamos urgentemente de uma política pública permanente que nos permita avançar e unir toda a Nação para esse grande enfrentamento. No Senado Federal a realização de Audiências Públicas é um dos principais instrumentos de contato com a sociedade, o que faz com que as decisões dos senadores estejam mais alinhadas com a perspectiva da sociedade”.

Fonte: www.portal.cfm.org.br

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará