WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindmepa Informa – 29.05.15

0

CEREST

Uma das inconformidades constatadas em auditoria do Ministério da Saúde no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) Pará foi a não aprovação do Plano Estadual de Saúde do Trabalhador 2012/2015, em virtude do mesmo não ter sido apresentado e discutido no Conselho Estadual de Saúde e Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador. Esta irregularidade determinou um prejuízo ao Cerest no valor de R$ 400 mil, que terá que ser devolvido aos cofres públicos. Quanta irresponsabilidade!

SAÚDE AGONIZANTE

Se o SUS no Brasil estava na CTI, agora a situação piorou. Está agonizante. Coma profundo. Isso depois que o governo federal anunciou um corte do orçamento da União para 2015 que penaliza a saúde em R$ 11,7 bilhões. A PEC conhecida como Saúde mais 10, que objetivava um aumento de 40 bilhões para o financiamento do setor fica inviabilizada e agora com mais esse corte estamos bem arranjados. A cara do Brasil.

CES

A saúde no Estado para alguns vai tão bem que o Conselho Estadual de Saúde (CES) não conseguiu reunir por falta de quórum por três vezes já neste ano. O desinteresse por grande parte dos conselheiros é evidente e lamentável, pois há muito que discutir e encaminhar na pauta. E o Pará apresenta um dos piores índices na avaliação da prestação de serviços de saúde para o usuário do SUS. Imagina se estivéssemos bem.

CRÍTICAS

A novas diretrizes pretendidas pelo Ministério da Saúde e ANS para o parto dito humanizado abre espaço para que o mesmo seja feito sem a presença de profissional especializado em reanimação neonatal. Como os protestos na classe médica foram tão grandes, o Ministério da Saúde garantiu que fará mudanças no texto que deverá garantir a participação de neonatologistas no atendimento ao recém-nato. Nunca é demais lembrar que é grande a estatística de crianças com alterações comportamentais em função de hipóxia neonatal.

FEDERAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA

A comissão provisória que dirige a nova Federação Médica Brasileira (FMB) divulgou nesta semana nota esclarecendo sobre inverdades veiculadas pela mídia que tentam ligar a entidade ao Partido dos Trabalhadores. A FMB, da qual somos membros, é contrária à partidarização do movimento médico brasileiro e ao aparelhamento de entidades médicas em benefício de projetos pessoais. Trabalhamos pela ética, moral e defesa intransigente da democracia e da saúde do povo brasileiro, bem como da defesa dos médicos, protagonistas incontestes da transformação deste País.

RISCO DE MORTE

A violência desmedida que assola Belém com muitas mortes, inclusive de pessoas transitando em seus carros, tem assustado médicos e profissionais da saúde que, por dever de ofício, precisam se deslocar de noite e de madrugada, até os hospitais e clinicas onde atuam para atender seus pacientes nos casos de urgência e emergência. Sair de casa nestes horários é considerado, hoje, por esses profissionais, risco de morte.

FALTOU PLANEJAMENTO

É inaceitável a falta de líquido conservante para as córneas doadas pela família do jovem Lucas Costa assassinado em um assalto, em Belém, no último sábado. Não há explicação que possa justificar a falta de planejamento estratégico da Sespa e do Hospital Ophir Loyola, onde fica o banco de olhos, para garantir os transplantes que poderiam devolver a visão a duas pessoas, pelo menos, diminuindo a fila de cerca de 1000 pessoas à espera de doadores.

 

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará