WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindmepa Informa – 30.08.2015

0

CMS SANTARÉM

Ótimas notícias de Santarém. Nosso delegado sindical no município, o médico Junio Aguiar, foi eleito, num feito inédito, presidente do Conselho Municipal de Saúde. Inédito porque é a primeira vez que um profissional atuante no movimento sindical médico assume esse cargo. Vivas à organização sindical. Boa sorte ao Junio e aos colegas que labutam na “Pérola do Tapajós”.

CES

E por falarem conselhos, nosso diretor, João Gouveia, retornou esta semana ao Conselho Estadual de Saúde (CES) como membro titular. É de suma importância para o processo democrático a participação de entidades representativas de trabalhadores no Conselho, órgão máximo de gestão da saúde no Estado. Bons debates nos aguardem.

URGÊNCIAS

O Sindmepa reunirá nesta segunda-feira, às19h, na sua sede, os médicos do novo hospital Samaritano, da PMB, e os do PS do Guamá, acompanhados dos diretores clínicos e o coordenador de urgência e emergência da Sesma. O objetivo é estabelecer protocolos para melhorar o fluxo de pacientes entre os dois hospitais.

SESPA EM SANTARÉM

Uma comissão de médicos do Hospital Regional de Santarém reuniu, esta semana com o secretário Estadual de Saúde, Vitor Mateus para discutir atrasos salariais que, mesmo após serem divididos em duas parcelas, continuavam acontecendo. O secretário garantiu que a situação será normalizada a partir de setembro. Também foram discutidas questões de infraestrutura do local e equipamentos pediram previsão para a aplicação dos serviços de hemodiálise, oncologia e ortopedia que estão superlotados no local. A audiência com o secretário foi intermediada por nossa entidade.

RESIDENTES EM GUERRA

Médicos residentes do Pará estão integrados às ações da categoria marcadas para o mês de setembro em todo o Brasil. Uma paralisação de advertência será a forma de chamar a atenção da opinião pública para o grave problema enfrentado pelo ensino médico no Brasil. Falta de equipamentos, desvalorização de preceptores – que não recebem nada para dar aulas – e trabalho com bolsa-miséria para os médicos, são alguns elementos de mais este triste cenário envolvendo o exercício da medicina no Brasil. “Pátria educadora” para quem?

EDUCAÇÃO MÉDICA

Não à toa, a educação médica tem sido o foco de debates da categoria em todo o Brasil. No último final de semana, discutimos o assunto em Florianópolis, num evento bem concorrido promovido pela comissão pró-fundação da Federação Médica Brasileira. E nesta semana, o Sindmepa também marcou presença no VI Fórum Nacional de Ensino Médico, em Brasília. Temos hoje 257 escolas médicas que oferecem 23.323 vagas ao ano. Um “boom” de escolas médicas promovido pelo atual governo, que em nenhum momento se preocupou com a qualidade do ensino.

MAIS ESPECIALISTAS

O Governo Dilma (PT) recuou na sua pretensão descabida de prover o país de especialistas médicos de “fundo de quintal”. Caiu o decreto 8.497/2015. O novo decreto, que será ainda publicado, garante que a certificação de especialistas médicos será feita unicamente por meio de residência medica ou pela Associação Médica Brasileira. O registro dos especialistas fica a cargo do Conselho Federal de Medicina. Foi incluída no texto a Comissão Mista de Especialidade.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará