WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Sindmepa Informa – 20.03.2016

0

AGE CBHPM

Em assembleia geral realizada na noite de quinta-feira, no Sindmepa, médicos deliberaram que as negociações com planos de saúde devem tomar como parâmetro a CBHPM, a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos, em vigor; também decidiram utilizar o contrato padrão aprovado na AGE, que é baseado na lei e nas Resoluções da Agência Nacional de Saúde (ANS). Fica a critério de cada profissional o movimento de descredenciamento seletivo de planos que pagam valores irrisórios. A lei, a Resolução da ANS e o contrato padrão estão disponíveis no site do Sindmepa.

PROTESTO

O caos instalado na área da urgência e emergência do município de Belém foi alvo de protesto dos médicos na última segunda-feira, em frente ao HPSM do Guamá. Esgotados por péssimas condições de trabalho, remuneração defasada e pressão de familiares de pacientes em estado grave, diversos colegas deram seus depoimentos e apoiaram o movimento. O número de mortos naquele hospital desde o incêndio do HPSM da 14, em junho, é desconhecido do público, mas sabe-se que assemelha-se aos números de uma guerra civil. Espera-se que a reabertura do HPSM da 14 de alguma forma alivie a carga para profissionais e usuários dos serviços de saúde de Belém.

REABERTO

Finalmente reaberto, mais de 20 dias depois de reinaugurado pelo prefeito Zenaldo Coutinho, o HPSM da 14 pode ser a redenção para quem procura atendimento de urgência e emergência em Belém. Desafogar o HPSM do Guamá, onde milhares já morreram desde o incêndio da 14, é o principal objetivo do hospital ressurgido das cinzas, literalmente. O grande problema ainda é o elevador, que por ser único, transporta alimentos, roupa suja, pacientes e cadáveres. Risco elevado de infecção hospitalar. Visitamos o hospital na sexta confirmando o retorno às atividades e vimos que já necessita de alguns ajustes, o que foi conversado com a direção.

DEMISSÃO

Por denunciar em seu perfil no facebook as péssimas condições em que atuam médicos no HPSM do Guamá, o médico Jessé Soares foi demitido dos plantões que tirava naquele hospital e nas unidades de saúde do município pela diretoria clínica do hospital. Duas horas depois a ordem da Sesma foi desfeita pelo próprio prefeito, que ligou para Jessé dizendo-se contrário a retaliações. Exemplo de descontrole da gestão, a demissão de Jessé chamou a atenção para o fato de não estar sendo cumprida no hospital do Guamá a Resolução do CFM que preconiza que o diretor clínico deve ser eleito pelo corpo clínico do hospital. Vamos exigir que a resolução seja cumprida.

CONGRESSO MÉDICO

Médicos associados ao Sindmepa têm direito a inscrições subsidiadas para o XVIII Congresso Médico Amazônico. As inscrições devem ser feitas na sede do Sindicato com o valor de R$ 250 para médicos sindicalizados e R$ 220 para médicos residentes. Realizado a cada dois anos o evento terá como tema central “A contribuição dos profissionais da saúde nos 400 anos de Belém”, com programação que segue do dia 24 a 27 de abril, no Hangar.

UNACON

O Hospital Barros Barreto informou na semana passada, por meio de sua assessoria de imprensa, que a Unidade de Oncologia do hospital estará apta a receber recursos financeiros do Ministério da Saúde em um prazo de 90 dias. Há cerca de um ano o Sindmepa constatou a quase paralisação da Unidade, pedindo providências ao Ministério Público Federal e Estadual. Lamentável apenas que se dê mais 90 dias para funcionamento de um serviço de tamanha importância para a população paraense.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará