WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

“O uso racional de medicamentos é fundamental em todos os países”, afirma presidente da Confemel

0

 

O uso racional de medicamentos é um dos temas considerados mais relevantes pelo atual presidente da Confederação Médica Latino-iberoamericana e do Caribe (Confemel), Ruben Tucci. “É essencial para os nossos países”, diz ele em entrevista que faz um balanço do que foi apresentado no 9º Fórum Ibero Americano de Entidades Médicas (Fiem), realizado recentemente em Coimbra, quando preocupações como a cobertura universal de saúde, trabalhadores de saúde agressão e acesso a medicamentos, entre outros, foram compartilhadas.

Que expectativas tinha a Confemel para este Fiem?

Esta organização cresce a cada dia e foi muito importante a nossa participação porque houve troca de informações entre a América Latina, Espanha e Portugal, e a abordagem da Itália e do Vaticano, o que nos permitirá uma ligação muito importante: nós com a Europa e a Europa, por sua vez, com a América Latina. O link para a Europa nos deu a oportunidade de fazer os documentos mais formais e informar periodicamente os meios de comunicação. Estamos fazendo resoluções e regulamentos como um fato comum.

Um dos temas discutidos na reunião foram os medicamentos. O que a Confemel pode fazer e o que eles estão fazendo para chegar a uma política de uso racional de medicamentos?

O uso racional de medicamentos é fundamental em todos os nossos países. A pressão da indústria farmacêutica é muito forte, tanto em organizações e individualmente, a cada um dos nossos colegas médicos. As instituições tem que auxiliar para encontrar o equilíbrio. Políticas de uso racional de medicamentos, e outras questões, tais como o uso de medicamentos genéricos devem ser impostas à indústria farmacêutica, de alguma forma. Devemos informar aos nossos colegas de discernir entre o que eles precisam e o que a indústria apresenta. É uma questão bastante complexa, mas sabemos que está acontecendo. É uma indústria que movimenta milhões de dólares e que tem os meios e todas as comunicações. Não temos a mesma comunicação, embora estejamos melhorando.

O acesso a novos medicamentos, como o exemplo contra a hepatite C, mostrou no ano passado, o problema do acesso aos novos medicamentos. Como está a situação na América Latina?

O problema é a mesma que a Europa tem. Você não pode permitir que algumas drogas que se mostraram eficazes, tais como a hepatite C, tenha os custos que têm, porque, para alguns, é impossível o acesso ao tratamento. Há muitas declarações, incluindo o Congresso dos Estados Unidos, em termos que este medicamento não pode ser vendido a U$ 200 e, no entanto, são. Alguns medicamentos não são acessíveis sob a alegação do preço, mesmo sabendo que pode curar. É um preço que tem a ver com um interesse mercantilista mesquinho.

A Confemel integra corporações médicas que defendem o acesso universal e igualitário dos cidadãos aos cuidados de saúde como um direito fundamental. É esta uma realidade na América Latina?

Sim, é um direito fundamental, embora nem todos os países sejam iguais. Por exemplo, no nosso país (Tucci é argentino), temos vários sistemas e a possibilidade de acesso gratuito para aqueles que não têm seguro social e não têm outros recursos em hospital público. Com um ou outro sistema, o cidadão é coberto.

Os ataques a profissionais da saúde é um problema compartilhado em quase todos os países. Será que a celebração de uma data na América Latina vai alcançar um objetivo?

É um problema geral. E as agressões são de vários tipos: às vezes pelo excesso de demanda da sociedade, que exige um monte de coisas. Temos diferenças entre os países: assaltos menores, abuso verbal, médica mortos, etc. É preciso chamar a atenção para isso.

O que representa para organizações médicas latino-americanos ouvir a Sua Santidade o Papa Francisco e para você como um argentino?

Para nós é uma grande alegria. Um grande compromisso. Nós demos ao Santo Padre um documento que reflete a realidade latino-americana.

fonte: Medicos Y Pacientes

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará