WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Suicídio: Informando para prevenir

0

Mais de 10 mil suicídios são registrados todos os anos no Brasil. No mundo, o número chega a um milhão, segundo informações da cartilha “Suicídio: informando para prevenir”, elaborada pelo CFM.

Para se ter uma ideia, a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, e a cada três segundos uma pessoa atenta contra a própria vida. O número de vidas perdidas desta forma, a cada ano, ultrapassa o número de mortes decorrentes de homicídio e guerra combinados.

É preciso entender que o suicídio é o desfecho de uma série de fatores que se acumulam ao longo da história do indivíduo, deste modo, é improvável que um único fator faça com que alguém atente contra a sua própria vida.

Para a Organização Mundial de Saúde é possível prevenir o suicídio. Mas para isso, além de outras medidas, é necessário que os profissionais de todos os níveis de atenção da saúde estejam aptos a reconhecerem os fatores de risco presentes nestas pessoas. Abordar adequadamente esse indivíduo pode garantir que esta vida seja salva.

Principais fatores de risco

Tentativa prévia de suicídio – estima-se que 50% daqueles que se suicidaram já haviam tentado previamente.

Doença mental – quase todos os suicidas tinham uma doença mental, muitas vezes não diagnosticada, não tratada ou não tratada de forma adequada.

Desesperança, desespero, desamparo, impulsividade, doenças clínicas, história familiar e fatores sociais, entre outros também podem ser alavancas para o desenvolvimento do pensamento suicida.

É importante que o profissional da saúde saiba ouvir o paciente e entender que todo indivíduo que fala sobre suicídio tem risco em potencial e merece investigação e atenção especial. Neste momento, a escuta e o bom julgamento clinico são fundamentais para salvar uma vida.

Para saber mais sobre o assunto, acesse a cartilha Suicído: informando para prevenir

Fonte: Cartilha “Suicídio: informando para prevenir”,  CFM.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará