WhatsApp: (91) 98895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386

Candidatos debatem problemas da área da saúde

0

Representantes da área da saúde ouviram as propostas dos candidatos a prefeito de Belém para o setor em um debate promovido pelo Sindmepa e Sindicato dos Estabelecimentos dos Serviços de Saúde do Pará (Sindesspa) com o apoio do CRM e SMCP, na noite desta segunda-feira, 24, no Belém Hall. Mediado pela jornalista Nélia Ruffeil, o debate teve momentos tensos, interrompido pela militância de ambos os lados que compareceu ao local para apoiar o seu candidato.

A ideia do debate foi ouvir dos candidatos o seu compromisso com importantes bandeiras do movimento médico e do setor saúde em geral. Quatro temas foram sorteados para perguntas entre os candidatos: Programa de Atenção Básica; Urgência e emergência; Regulação das ações e serviços de saúde; e Financiamento da saúde.

img_2600

Imagem: Paulo Favacho

Cada entidade que participou da organização do evento teve direito a formular uma pergunta que foi respondida pelos dois candidatos. A pergunta formulada pelo Sindmepa, aprovada em reunião de diretoria foi: “Considerando o congelamento dos abonos dos médicos nos últimos 12 anos; que há quatro anos não houve reajuste no abono do Estratégia Saúde da Família (ESF); o congelamento dos valores dos plantões extras há cinco anos; que hoje mais de 70% dos médicos da Sesma, que trabalham em regime de plantão, ou do ESF, não tem os mais elementares direitos trabalhistas, nem direito a adoecer; que os médicos da Sesma recebem hoje um salário base abaixo do salário mínimo vigente, já que este ano não houve reajuste; o SINDMEPA pergunta: qual a política de Vossas Senhorias para valorizar os profissionais e implementar o PCCV da saúde, bandeira permanente deste sindicato há mais de 20 anos?”.

Imagem: Paulo Favacho

Imagem: Paulo Favacho

As perdas reclamadas pelos médicos representam 110% nos abonos, nos últimos doze anos; 40.57% nos plantões; e 32.52% no ESF, de acordo com o INPC. O salário base dos médicos hoje é de R$ 788,00, com uma perda de 11.67% pelo reajuste não aplicado ao salário mínimo.

O debate foi dividido em cinco blocos, abertos com as prioridades de cada um para a saúde de Belém; noutro bloco os candidatos responderam a perguntas entre si sobre temas pré-selecionados em reunião com as equipes de campanha; num terceiro bloco, perguntas entre si com temas livres; no quarto bloco, perguntas das entidades e no quinto, perguntas da plateia.

Ao chegar ao debate, os candidatos deram entrevistas para o programa Saúde Alerta sobre a importância do evento. Eles elogiaram as entidades promotoras e ressaltaram ser o tema da saúde um dos mais preocupantes da cidade e, consequentemente, um dos pontos principais de seu programa de governo.

Imagem: Paulo Favacho

Imagem: Paulo Favacho

Zenaldo disse que vai continuar o trabalho que já vem sendo desenvolvido, falou da modernização do Pronto Socorro da 14 e ressaltou que vai continuar fortalecendo o trabalho de Atenção Básica. Edmilson fez críticas aos investimentos incipientes na saúde, disse que vai construir o Pronto Socorro do Benguí, e falou da importância da parceria com as entidades médicas, que tem expertise na área. Garantiu que pretende inverter o modelo hospitalocêntrico, que prioriza a doença em desfavor da saúde.

O diretor de Comunicação do Sindmepa, Wilson Machado, destacou que o debate foi importante para as entidades promotoras do evento, considerando que os médicos são um dos principais atores do sistema de saúde e, portanto, estavam ansiosos para conhecer o programa para a saúde no futuro governo de cada candidato e o compromisso de cada um deles com a área. “Estas informações, seguramente, foram determinantes na decisão sobre em quem votar no próximo domingo”.

Ele ressaltou que as entidades médicas tomaram todas as medidas necessárias para se ter um debate em segurança e de alto nível, tanto para os candidatos quanto para o público convidado. Agradeceu o apoio da Polícia Militar e Semob na organização do trânsito e na segurança da militância que se reuniu do lado de fora do Belém Hall para recepcionar seus candidatos. “Foi uma festa democrática com os dois candidatos tendo garantido seu direito de dizer o que pretende fazer pela saúde da nossa cidade, caso eleito no próximo domingo”, ressaltou.

O presidente da Federação Médica Brasileira (FMB) e diretor do Sindmepa, Waldir Cardoso, afirmou que “com este trabalho os médicos proporcionam aos eleitores de Belém confrontar propostas e iniciativas dos candidatos na área da saúde, uma das principais preocupações e dificuldades da população. Esperamos, com isso, ter contribuído com a decisão do voto, em favor de uma saúde melhor para Belém”.

O presidente do Sindesspa, Breno Monteiro, destacou o objetivo das entidades ao propor o debate: “A ideia de realizar um debate com foco apenas em assuntos da saúde tinha como objetivo poder ouvir os candidatos e suas propostas e, principalmente, dar espaço para que pudéssemos questioná-los sobre seus projetos. A partir disso, quando for eleito o novo governante de Belém, vamos poder acompanhar sua gestão e ver se suas promessas serão cumpridas. Acredito que esta ação vai ficar marcada na história das demais entidades, assim como já está na história do Sindesspa”.

img_2616c

Imagem: Paulo Favacho

O diretor do Sindmepa, João Gouveia, ressaltou que a sociedade espera uma resposta no sentido de que o próximo governo traga soluções para a saúde pública do município. Ele observou que as crises sucessivas que a cidade tem assistido chegaram ao limite e que o momento é de se resolver, procurar soluções definitivas para os problemas da saúde, principalmente em relação à valorização dos médicos coma recuperação das perdas salariais e implementação do PCCV, sonho de consumo da categoria. Os representantes das entidades promotoras do evento entregaram aos dois candidatos, documentos contendo as demandas da área da saúde e da categoria médica com propostas para solucioná-las.

img_2672

Imagem: Paulo Favacho

Fortalecer o Sistema Único de Saúde, com mais investimentos na Atenção Básica, mantendo uma política mais voltada para a saúde e não focada na doença foi a tônica dos documentos com as propostas para a saúde, que podem ser acessados, na íntegra, aqui:  ( doc-prefeito-ze-naldo-2016  ) ; ( doc-prefeito-edi )

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará